15
28.09.2018 • Febrafite

Auditoria Cidadã da Dívida e Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas criticam agenda de privatizações

A coordenadora nacional da Auditoria Cidadã da Dívida, Maria Lúcia Fattorelli, apresentou, na audiência pública sobre as regras de transferência de controle acionário de empresas públicas, sociedades de economia mista e de suas subsidiárias ou controladas, uma relação entre o sistema da dívida no Brasil e as privatizações, desde a época do governo Collor até os dias atuais. A audiência foi convocada pelo ministro Ricardo Lewandowski, relator da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 5624, que discute a matéria.

Segundo Maria Lúcia, durante todo esse período, foram privatizadas empresas estratégicas, lucrativas, por valores muitas vezes irrisórios e questionáveis. O caso mais emblemático, frisou ela, foi a Vale do Rio Doce, privatizada por R$ 3,3 bilhões, valor que nem chegou a ser pago, sendo entregues em lugar disso papéis do BNDES e papéis podres – títulos da dívida externa brasileira emitidos em Luxemburgo em 1994, resultante da conversão de dívida externa suspeita de prescrição – caso que nunca foi investigado.

O governo de Michel Temer está realizando a privatização da “gigante” Eletrobras, das distribuidoras e de ativos da Petrobras, de empresas públicas e de rodovias. Contudo, salientou Maria Lúcia, o país vive uma infâmia: enquanto prosseguem as privatizações dessas “joias”, estão sendo criadas novas estatais. Segundo ela, o objetivo é operar esquemas financeiros fraudulentos.

A propaganda das privatizações diz que isso ajudaria a acelerar a arrecadação da dívida ativa que não teria perspectiva de ser arrecadada, mas a realidade é que é uma geração ilegal de dívida pública, com desvio de arrecadação de créditos líquidos e certos e o comprometimento das gerações atuais e futuras. Ela revelou que diversos órgãos de controle federais têm feito graves questionamentos sobre o modelo de privatização em curso. Mas o esquema continua, sob a desculpa de que estamos em crise, que segundo ela é produzida pela política monetária do Banco Central.

 

Fonte: STF

OUTRAS NOTÍCIAS

09.07.2022 • fiscosul

Revista 40 anos da Fiscosul

https://e.issuu.com/anonymous-embed.html?u=kuana&d=revista_fiscosul_final_toda

SAIBA MAIS +
01.11.2019 • Febrafite

Mais de um terço das cidades não conseguem se manter com a própria receita

relação entre a receita gerada localmente pelos municípios brasileiros e...

SAIBA MAIS +
31.10.2019 • fiscosul

Dia do servidor público estadual

DIA 28 DE OUTUBRO   Caríssimos colegas servidores,   Aproveitamos a comemoração do Dia...

SAIBA MAIS +
09.10.2019 • Febrafite

Estados exportadores querem mais recursos do megaleilão de petróleo

Por Correio Braziliense Os governadores não chegaram a um acordo sobre a divisão...

SAIBA MAIS +